Endorfina: veja o que é e como produzir o hormônio da felicidade

É preciso destacar que a OMS ( Organização Mundial da Saúde) evidenciou esse hormônio como uma arma potente para o tratamento da depressão.

A endorfina é uma substância produzida no cérebro, mais propriamente dito pela glândula da hipófise. Ela é conhecida também como ” hormônio do prazer”, ” felicidade” e ” bem estar”.

A endorfina é essencial para o sentimento de felicidade

A endorfina é considerada o hormônio do prazer e do bem-estar. (Foto: Divulgação).

A fama desse hormônio tem fundamento, pois a sua ação é feito um analgésico natural que age em todo o corpo conferindo  a sensação de puro relaxamento. É justamente por isso que os cientistas colocaram esse nome na substância, que significa: “Endo” (interno) e ” morfina” ( analgésico).

O fato é que o sistema nervoso do ser humano possui vários tipos desse hormônio, estima-se que são 20. A sua liberação é feita de forma gradativa na corrente sanguínea, especialmente mediante algumas atividades como: Prática de esportes, exercícios aeróbicos e relações sexuais.

Quando isso acontece, os músculos do corpo relaxam, com isso, o indivíduo sente menos dores e uma sensação de incrível prazer. Em razão disso, os especialistas reiteram a necessidade da prática de atividade física, pois quanto mais a endorfina é liberada no organismo, infinita são as chances de melhora na saúde.

A endorfina pode curar doenças. Confira os principais benefícios!

Alguns especialistas chamam de ” terapia do riso” e completam que ela faz bem para a saúde. O bom humor pode livrar uma pessoa de uma série de doenças e até mesmo, curar as que já estão instaladas.

Um indivíduo que possui uma boa liberação desse hormônio, além de sofrer menos, também tem menos chances de ficar doentes quando passam por momentos difíceis. É comprovado pelos especialista que a “tristeza” age de forma negativa no sistema imunológico trazendo prejuízos para as defesas do organismo.

As evidências que uma boa risada pode ajudar na cura de doenças estão espalhadas nos hospitais de todo o mundo, por isso, existem muitos grupos que estimulam a produção de endorfina em doentes fazendo apresentações que proporcionam alegria em ambientes hospitalares.

De acordo com os médicos, quando os pacientes riem e se divertem, o organismo aumenta a capacidade de suportar a dor, sobretudo é possível reduzir a medicação e acelerar a recuperação.

Por esse motivo, os profissionais da saúde enfatizam muito a necessidade de realizar atividade física regularmente, pois os exercícios liberam 2 hormônios. Um deles é a endorfina e o outro a dopamina.

Juntos, eles promovem a produção de serotonina, que por sua vez, ativam funções importantes no corpo humano, como: Redução da tensão, aumento da motivação, bem estar e energia.

Em suma, o hormônio da felicidade pode trazer inúmeros benefícios, entre eles:

  • Melhora o humor;
  • Fortalecimento do sistema imunológico;
  • Aumento da disposição física e mental;
  • Estimulação da memória e concentração;
  • Redução do estresse e tensão corporal;
  • Grande aliado para o combate da ansiedade e depressão;
  • Possui efeito antienvelhecimento;
  • Atua no controle da pressão alta;
  • Fortalece a massa muscular;
  • Melhora a postura;
  • Regula o colesterol;
  • Atua no funcionamento do intestino;
  • Aumenta a auto estima;

A produção desse hormônio confere ao organismo saúde mental e corporal, pois com o aumento de disposição é possível melhorar a flexibilidade, eliminar gordura  e fortalecer a massa magra.

Aprenda a estimular a produção do hormônio do bem estar

Com todos esses benefícios proporcionados pela endorfina, quem não quer estimular sua produção no organismo?

A boa notícia é que não precisa de nenhuma ação mirabolante para que o cérebro comece sua produção. Basta inserir algumas atitudes simples no dia a dia para garantir uma boa dose do hormônio da felicidade e do bem estar.

Confira 10 maneiras de conseguir isso!

1- Dê boas gargalhadas

Quando rimos, o cérebro libera o hormônio da felicidade, prazer e bem estar. Isso é um ponto positivo para a saúde. Por isso, já dizia o ditado que “rir é o melhor remédio”. Isso não é mais uma crença popular, pois até a ciência explica. Uma grande teoria fundamentada nesse ditado é o fato de pacientes de hospitais apresentarem melhoras depois da visita de grupos como ” Doutores da Alegria”.

Esses grupos fazem essas pessoas se sentirem melhor com a promoção do riso. Os profissionais da saúde relatam que os resultados são evidentes, pois  em alguns casos, a medicação é reduzida.

2- Fazer atividade física regularmente

A maioria das pessoas já sabem disso, mas o fato é que boa porcentagem da população ainda não faz exercícios físicos de forma regular, ou seja, não mantém um ritmo de pelo menos 2 vezes na semana.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o tipo de atividade para liberar o hormônio do bem estar não pode ser estressante e sacrificante.

Especialistas indicam exercícios mais tranquilos como: Caminhada moderada, natação, pilates, alongamento, ioga e outros que promovem a sensação de prazer sem grandes dificuldades.

3- Tenha contato íntimo

A relação a dois libera hormônio do prazer, que proporciona uma grande sensação de felicidade. Por isso, é importante manter a vida íntima em dia, com uma pessoa que realmente você se sinta bem, amado e que haja muita troca de carinho.

Quando a relação envolve o afeto, a liberação do hormônio do prazer é duplicada.

4- Tenha planos na vida

Sonhar com objetivos e traçar um plano para alcançá-los pode ajudar a nosso cérebro a liberar o hormônio da felicidade. É uma forma de nos manter ainda mais vivos, por dentro e por fora.

Para não gerar estresse, anote esses objetivos em um papel, vá riscando tudo o que for alcançando. O objetivo é ter uma vida tranquila, organizada e com tempo para realizar atividades prazerosas que realmente farão bem a saúde de maneira geral.

5- Tenha contato com a natureza

O ar puro e a paisagem paradisíaca pode mudar o seu humor na hora, por isso, as atividades em áreas verdes são as mais recomendadas.

O contato com a natureza faz bem para a mente e para o corpo, afinal, ela é caracterizada como o “combustível da alma”. Uma visita ao parque, pelo menos 1 vez na semana pode trazer benefícios incríveis como: aliviar o estresse, reduzir riscos de doenças cardíacas, aumentar os níveis de vitamina D, aumentar a capacidade de memória e concentração e eliminar os sintomas da ansiedade e depressão.

Todos esses pontos positivos são possíveis devido a liberação da endorfina na corrente sanguínea. De acordo com os especialistas, 15 minutos de caminhada em meio a natureza são o suficiente para começar a ver os resultados positivos.

6- Aromatize os ambientes da sua casa

O cérebro também é capaz de liberar o hormônio do prazer diante de alguns “aromas”, por isso, existe uma terapia chamada de aromaterapia muito utilizada em pessoas com ansiedade, estresse e depressão.

Os cheiros podem desencadear sentimentos e sensações no ser humano, algumas fragrâncias indicadas são: Baunilha e lavanda. Podem ser usadas como aromatizadores de ambientes, óleos de banho e também extratos, para adição em receitas.

7- Coma chocolate amargo

Os chocólatras de plantão certamente vão gostar muito dessa dica. Não é por acaso que a ingestão do chocolate traz uma sensação de felicidade, isso é consequência de uma endorfina chamada anandamina.

Entretanto, é ideal que o chocolate seja amargo, acima de 60% para promover outros efeitos benéficos à saúde. Além disso, não é necessário grandes quantidades, 1 quadradinho por dia basta.

8- Faça massagem corporal

Não é segredo para ninguém que receber uma massagem no corpo relaxa, reduz as tensões musculares e traz uma sensação de bem estar.

No entanto, pode parecer que essa sensação é apenas passageira, mas não é. Pois a liberação do hormônio do prazer e felicidade é liberada gradativamente na corrente sanguínea fazendo com que a pessoa que recebeu a massagem, sinta-se bem prolongadamente.

Portanto, é ideal receber uma massagem corporal pelo menos 1 vez a cada 15 dias.

9- Comida confortável (Confort Food)

Comer faz bem para o corpo e para a alma, afinal, quem, não gosta da comidinha da mamãe ou da vovó. As chamadas “conforto food” ganharam essa denominação porque os especialistas comprovam que a comida traz uma sensação de bem estar e felicidade.

Isso acontece porque o cérebro entende que aquela comida traz boas recordações, por isso, o hormônio do prazer é liberado com mais facilidade. É claro que não devemos esquecer de equilibrar as refeições para não comprometer a boa forma.

10- Tenha bons pensamentos com relação a vida

Seja otimista, sempre carregue a mente com pensamentos positivos, desse modo, evita que o cérebro crie produtos químicos negativos que vão parar na sua corrente sanguínea. A ciência comprova que os seus pensamentos são responsáveis pelo sucesso na vida.

Agora que você já sabe tudo sobre a endorfina, que tal começar a produzi-la no seu organismo para ganhar mais qualidade de vida?

Depende de você. Portanto, evite tudo o que possa atrapalhar esse mecanismo natural do corpo, como uso de drogas ilícitas, álcool em excesso, tabaco, pensamentos negativos e o estresse. Seja feliz!

Comente