Descubra o que fazer quando os músculos doem depois da academia

Alimentação, massagem, gelo...Saiba quais são as medidas mais recomendadas.

A busca por uma vida mais saudável é composta por diversas práticas, dentre elas, os exercícios físicos são os que potencializam a saúde e a estética do corpo. Contudo, por mais que esse hábito seja essencial, para quem está começando resta uma dúvida: o que fazer quando os músculos doem depois da academia?  Bom, o primeiro passo é não desistir, já o segundo é ler este conteúdo até o final e aprender como lidar com inflamações musculares.

Chegou a hora de saber o que fazer quando os músculos doem depois da academia.

Sentindo dor muscular depois do treino? Saiba que esse problema tem solução. (Foto: iStock)

Dicas sobre o que fazer quando os músculos doem depois da academia

1 – Alimentos ricos em potássio

Ao decorrer deste artigo, você verá algumas soluções que podem ser uma mão na roda, ou melhor, no músculo, quando as dores aparecem.  Mas antes de abordamos como lidar, é válido lembrar como evitar. Por isso, para prevenir inflamações musculares como as câimbras, por exemplo, uma ótima saída é ingerindo alimentos que sejam ricos em potássio.  Uma vez que os alimentos que possuem essa vitamina acabam tendo um papel fundamental para o bom funcionamento do coração, músculos e, também, neurônios.

Tá, mas como eu faço para encontrar essa solução milagrosa?  É fácil, basta ter uma dieta rica nos seguintes alimentos:

  • Banana, Feijão, Salmão, Abacate, Couve, Espinafre, Beterraba, Cenoura, Mamão, Abóbora.

2 – Automassagem

Não sabe o que fazer quando os músculos doem depois da academia? Então a dica é a automassagem. Depois de pagar todos os pecados gastronômicos, cometidos no final de semana, saiba que você também merece uma massagem.

Logo, a automassagem realizada na área dolorida, é uma ótima forma de ativar a circulação do sangue e aliviar as dores musculares pós-treino.  A indicação é que os movimentos das mãos percorram em sentido circular as áreas afetadas.  Outra dica é utilizar alguns produtos como géis e cremes voltados para a massagem.  O gel massageador de Cartilagem de Tubarão, por exemplo, é um dos mais recomendados.    Composto por óleo de copaíba, da Amazônia, mastruz e alecrim, essa solução oferece uma forte ação para o alívio de tensões musculares.

3 – Gelo

Conhecida como crioterapia, a técnica que utiliza a água gelada para acabar com as dores musculares, pode acontecer por meio da sua forma líquida, sólida ou gasosa. Mas por que o gelo é indicado? Bom, a resposta para essa pergunta está atrelada a uma palavra meio difícil, mas que depois de entender o seu significado fará todo o sentido. Isso porque, a aplicação do gelo na área afetada acaba gerando a vasoconstrição, diminuindo o diâmetro dos vasos, que por sua vez, acaba evitando que o processo de inflamação se espalhe pelo corpo.

4 – Calor

Depois do processo de vasocontrição, o calor térmico proporciona a vasodilatação, melhorando e elasticidade dos tecidos, que sofreram com as lesões musculares. Dessa forma, o relaxamento da musculatura acaba sendo uma consequência desse procedimento. O ideal é que a temperatura não seja extremamente quente, para que assim queimaduras sejam evitadas. Em relação ao tempo, a aplicação pode durar de 15 a 20 minutos.

O calor térmico pode combater a dor causada pela lesão. (Foto: iStock)

5 – Sal de epsom

O banho com sais é uma prática relaxante por si só, contudo no caso das dores musculares, há um, em especial, que faz toda a diferença.  Conhecido como sal de Epsom, por conta do sulfato e magnésio concentrado, a absorção desses componentes pela pele ajuda no combate das inflamações do tecido muscular.  Além disso, por meio de pesquisas, foi comprovado cientificamente, que os íons presentes nos sulfatos de magnésio, como o sal de Epsom, ajudam a reduzir a irritabilidade dos músculos, já que aliviam os níveis de adrenalina provocados pelos exercícios físicos.  É indicado que para o banho, seja feita uma infusão com ½ xícara do sal de Epsom com água quente.

6 – Durma mais

A recomendação para pessoas que treinam intensamente é de 9 a 10 horas de sono.  Por conta do esforço físico, a pausa garantida pelo sono acaba sendo essencial para recuperação das inflamações musculares proporcionadas pelo treino.  Isso porque, dormir bem acaba aumentando os níveis de cortisol, que nada mais é do que um hormônio que bloqueia os riscos causados pelas lesões. Além disso, há também a produção de GH (Growth Hormone ou Hormônio do Crescimento) que é fundamental para construção dos músculos.  Então, já sabe, né? Para evitar dores e ver resultados: durma bem!

7 – Não fique sem comer depois do treino

Para nutrir o fortalecimento dos músculos, uma boa alimentação é essencial. Contudo, vale lembrar que as suas refeições pós-treino, além de serem equilibradas, deverão acontecer após 30 a 40 minutos da realização das atividades físicas. Outro ponto é investir no consumo de proteínas e carboidratos, já que além de serem uma grande fonte de energia, o seus valores nutricionais estimulam o fortalecimento da musculatura, ajudando a evitar danos causados pelas lesões.

8 – Alongamento

Alongar-se é uma prática que só traz benefícios para corpo e quando realizada no pós-treino é aí que a sua função acaba agregando ainda mais valor para as suas atividades físicas. Então, se há alguma área do seu corpo que sempre acaba ficando mais dolorida do que a outra, será justamente nela que você deverá focar.

Agora que você já saber o que fazer quando os músculos doem depois da academia, tenha um bom treino e fique por dentro deste portal!

Comente